OLHAR VENENOSO

 Um mistério aquele olhar…

Não queria,  mas me envolvia.

Desviava-me para um lado, pro outro,

mas aquela luz resplandecia.

Olhos negros venenosos

seduziam-me na mansidão.

Fazia de conta que não o via,

mas flechava meu coração.

Aqueles olhos enormes

fixavam-se sobre mim…

Hipnotizada deixava-me seduzir.

Inerte… Não queria mesmo sair.

Nada mais poderia ser 

que meros olhos de um feiticeiro.

Flertava descaradamente

e me refletia naquele espelho.

Cada vez mais penetrantes

aqueles olhos negros eram esplendor.

Era de  feiticeiro? Um mágico?

-Já estava embriagada de amor.

ELZI SENRA 27/06/2011

TREM BALA DA COLINA

 

Amanhece…  Arrumação de rotina:

 colocar milho no chiqueiro,

molhar as plantinhas

e varrer também o terreiro.

Pausa pra preparar o almoço.

 Esse tem que ser na hora.

Levar  a comida na roça…

Tem que ser trem bala.

A roupa espera  na bica

 a louça está para lavar…

Nessa hora nem se fala,

 tem que ser trem bala.

A tarde desce..O sol se acalma.

É hora do jantar. A noite chega…

 Não deu nem pra olhar a esquina.

Falta o lanche, TREM BALA DA COLINA.

ELZI SENRA ( na roça antigamente existia muito desse trem bala….COITADAS!)

Esporte do amor

O amor puxa de longe…

A saudade fala mais forte.

Fazer exercícios com os amigos

Faz muita falta esse esporte.

 

Faz falta exercitar amor

Faz falta a troca de carinhos

Faz falta uma alfinetada…

Que até doe um pouquinho.

 

Faz falta a troca de idéias

dessa roda viva virtual.

Um sobe e desce de opiniões

mas no fundo, amor especial.

 

É um esporte que dá prazer

e muito fácil de praticar.

Não se gasta muita energia

é só deixar o amor chegar.

 

Para saciar a saudade

é só praticar muito amor

As atividades são livres

no grande “esporte do amor”.

 

 

ELZI SENRA

POR DE TRÁS DA CORTINA

Por de trás da cortina

uma vida quer viver.

Só que não pode sair..

sua beleza esconde

um sonho contido.

 

 Um amor que não pode gritar

Um amor que chegou torto

sem esperança de concretizar.

 

Esse amor é recíproco

mas a janela não pode abrir.

Só por de trás da cortina

o  amor pode expandir.

 

Deixa o seu sonho expresso

na parede do seu quarto.

Devota todo o amor

olhando uma simples foto.

 

O amor é compartilhado

por de trás da cortina

Através de palavras de amor

de um poeta sonhador.

 

02/10/2010

ELZI SENRA

 

 

SE ALGUM DIA

Ando por ai sem rumo

e  encontro  uma multidão.

Mas  entre todas as pessoas

nenhuma me chama atenção.

 

Meio perdido  eu caminho

na esperança de você aparecer.

Sei que em algum momento,

poderei  me esbarrar em você.

 

Se algum dia, por ai,

 seguirmos a mesma direção,

eu vou olhar de lado e saber…

É você o amor do meu coração.

ELZI SENRA

NÃO DEIXE A TRISTEZA ACORDAR

Deixe a tristeza dormir

ela está a descansar.

Sorria… Sorria… Sorria

Não deixe a tristeza acordar.

Do  mesmo céu que cai a chuva

O mesmo que faz o sol brilhar…

Chuva e sol se alternam

para um descansar e o outro atuar.

 

Enquanto isso sorria…

Sorria enquanto pode cantar.

Sorria nos momentos felizes,

que a tristeza pode esperar.

 

A alegria chegou num paraíso,

que DEUS nos deu pra amar.

As lágrimas vieram depois.

Sorria… A tristeza pode esperar.

 

ELZI SENRA

DO OUTRO LADO DO MURO

As crianças brincavam

corriam no terreiro,

Mas o que mais as atraíam

estava no outro lado do muro.

 

O que tinha do lado de cá

era  também igual,

Mas  do outro lado do muro

era mais especial.

 

O espaço de cá  era grande.

As arvores com fruto maduro,

mas  o que era mais doce…

Estava do outro lado do muro.

 

Tinha plantinha  no quintal

Rosas, margaridas, lírio,

Mas o que esticavam as crianças…

Estava do outro lado do muro.

 

Alguém tem que verificar

O que há nesse escuro…

Ora… Ora!  É uma pipa!

Está do outro lado do muro.

ELZI SENRA